20 jun Assessoria de Imprensa: 5 situações que salvam sua marca

Por Nicole Barros *

O leque de opções para uma empresa investir em comunicação é grande e pode variar de acordo com a necessidade naquele momento: pode ser publicidade offline, online, comunicação interna, externa, outbound, inbound e… assessoria de imprensa. Esta última envolve um trabalho de relacionamento diário entre a marca e os principais veículos de comunicação para o negócio e busca inserir a empresa em notícias que façam sentido para o público-alvo.  E, atuando como uma verdadeira advogada da marca, seu papel é defender, nos momentos bons e também ruins!

Confira cinco situações que preparamos e que salvam uma empresa/marca/porta-voz quando entra a assessoria de imprensa:

Definição de um plano exato de mídia: em muitos casos, a empresa tem a notícia em mãos, mas sem uma agência especializada, não sabe o que fazer com ela. Possuir uma assessoria de imprensa certamente é um tiro certeiro para resolver essa questão. A facilidade de uma agência em trazer essas informações e agir nas etapas necessárias vai ao encontro da agilidade que uma notícia deve ter para chegar não apenas na mídia, mas também ao target que se informa por meio da imprensa.

Gestão de crise: ter a marca envolvida em fatos negativos na imprensa é um dos problemas mais graves para uma empresa que não tem assessoria. Os jornalistas cobram posicionamento e saber como e o que responder é fundamental para nada dar errado. Dois fatos explicam a importância de um assessor neste caso. Primeiro, ele pode tentar impedir que uma notícia saia com tom negativo quando o jornalista questiona tal fato. Depois, ele pode neutralizar o que eventualmente já possa ter saído, criando comunicados oficiais, cartas-respostas ou posicionamentos importantes para tranquilizar o público-alvo.

Acompanhamento de entrevistas: é comum marcas concederem entrevistas quando os jornalistas solicitam. O que não pode acontecer é a falta de preparo, como escalar um porta-voz não gabaritado ou que não tenha a “linguagem” da imprensa. Uma assessoria de imprensa resolve estes pontos, pois prepara a pauta da entrevista previamente, treina o entrevistado e faz o acompanhamento para realizar uma “checagem dupla” do que foi dito, evitando um possível mal entendido.

Publicações erradas: pedir uma errata é comum entre assessores e jornalistas. O diferencial aqui está em como solicitar esse recurso e evitar constrangimento entre as partes. Nessa hora, é recomendável apostar no relacionamento. Normalmente, o assessor já conhece o jornalista e sabe como pedir. Mesmo se não conhecê-lo, é mais provável que saiba como e qual o momento mais adequado para pedir.

Advogado da marca: é um dos termos mais apropriados para um verdadeiro assessor de imprensa. Como o próprio nome diz, inspira uma sensação única de confiança. Não há alguém mais interessado em proteger a marca do que uma assessoria de imprensa. Afinal, tanto trabalho para mantê-la positiva não pode ser em vão. Os profissionais sempre lutarão para que falem bem do que eles cuidam e, principalmente, pelo que prezam.


nicole-paraartigo* Nicole Barros é CEO da NB Press, agência de comunicação especializada em engajar marcas com seu target, por meio de ações de assessoria de imprensa, conteúdo, blogs, newsletters, redes sociais e influenciadores – nicolebarros@nbpress.com

Ainda não há comentários.

Escreva um comentário