Ciberataque: Como aproveitar o timing para gerar mais pautas

Ciberataque: Como aproveitar o timing para gerar mais pautas

26 maio Ciberataque: Como aproveitar o timing para gerar mais pautas

por Aline Paz e Mariah Massari*

Na sexta-feira, dia 12, o mundo se viu desprotegido. Segundo o levantamento da Kaspersky Lab, ao menos 74 países foram alvos de hackers em larga escala, o que resultou em 45 mil ataques. Por meio do ransomware – um tipo de vírus de resgate – dados confidenciais e sistemas foram sequestrados e inutilizados em troca de altas quantias de dinheiro. Os autores do crime ainda não foram identificados e pediram o resgate em bitcoin, moeda digital que dificulta o rastreamento.

Exemplo do estrago causado foi a paralisação de 16 hospitais e ambulatórios no Reino Unido, fato que colocou em risco a vida da população inglesa, que foi impedida de se dirigir a qualquer centro médico até que a situação fosse normalizada. No Brasil, instituições como Petrobras, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ministério Público de São Paulo (MP-SP), entre outras, tiraram seus sites do ar e desligaram seus computadores.

Em meio ao caos, surgiram dúvidas de todos os lados: Como sei que sou uma das vítimas? Será que estou protegido? Corro algum risco? Diante dessa necessidade, as assessorias de imprensa usam um assunto como gancho para alertar e trazer informações que complementem o ocorrido e que tragam prevenção para as empresas. Essa foi a estratégia usada pela NB Press, orquestrada por Mariah Massari, jornalista e profissional de relacionamento com a imprensa.

Ciberataque: Como aproveitar o timing para gerar mais pautas

Depoimento da jornalista Mariah Massari

“Na estratégia diária de divulgação da UPX Technologies, corporação que faz parte da carteira de clientes da NB, sempre trabalhamos com materiais voltados à segurança digital, isso em diversos setores: saúde, finanças, consumo, etc. Assim, tendo um caos cibernético, não poderíamos deixar de aproveitar o incidente para trabalhar a imagem do especialista Bruno Prado, CEO da UPX. Em uma situação como essa, diante da gravidade da ação hacker e a proporção do transtorno, impressos, rádios, online e principalmente TVs, precisaram de um conhecedor para explicar o ocorrido, quais os próximos passos e como as pessoas poderiam se prevenir. Nesse caso, o tema é bastante técnico e requer um representante com alta expertise. Então, precisávamos fazer com que Prado fosse visto por esses jornalistas e colocá-lo à disposição para entrevistas. Porém, rapidez sem controle é pressa. Esse tipo de divulgação demanda uma estratégia elaborada. O plano deve ser arquitetado rapidamente. É uma corrida contra o tempo por dois fatores: 1. É um acontecimento em tempo real e os veículos precisam falar do assunto naquele momento; 2. São muitas fontes que surgem e são oferecidas a esses repórteres, por isso, é necessário se destacar”, explica Mariah. Seguindo essa ideia, procedemos da seguinte forma:

Agilidade:

  • Redigimos uma nota rápida com o resumo do ocorrido, um perfil do especialista e da empresa.
  • Como comentado, precisávamos de agilidade na divulgação e mandar o conteúdo no modo one to one não teria o efeito rápido que precisávamos. Então, geramos um mailing com contatos nacionais, internacionais, de economia e tecnologia e restrito à grande mídia. Disparamos o material elaborado.

Destacar o cliente:

  • O título do e-mail. Esse é um dos detalhes mais importantes de uma divulgação e não ficou de fora da nossa estratégia. Lembrando que precisávamos destacar o cliente pela quantidade de fontes que apareceria para a mídia. O assunto tinha um apelo, com o intuito de fazer com que os jornalistas clicassem no e-mail, pois ali teriam informações relevantes sobre o ciberataque.

 

  • Além disso, na nota produzida, destacamos como o especialista pode agregar ao assunto e o seu know-how em relação à questão.

Alinhamento e acompanhamento de demandas:

A partir do envio, os contatos foram imediatos, principalmente para televisões. Esse foi o momento de alinhar todas as solicitações e tentar encaixar o cliente no maior número de participações possíveis. Nos intervalos entre uma gravação e outra, foram enviados vídeos com o parecer de Prado por whatsapp, além de mantermos contato constante com os jornalistas. Até o fim do sábado (13), foram atualizações ininterruptas de informações e as semanas seguintes são oportunidades para o tema ser abordado como prevenção, tendo a gravidade do que ocorreu, e do caos que pode gerar caso aconteça novamente e com mais força.

* Aline Paz é redatora e Mariah Massari é profissional de relacionamento com a imprensa da NB Press Comunicação, agência especializada em relações públicas com portfólio de mais de 50 clientes. Para saber mais, acesse: nbpress.com e as páginas nas redes sociais: Facebook, Instagram e Linkedln.

Ainda não há comentários.

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.